Bem Vindo a WA Rural

contato@warural.com.br

(14) 99759-4149

Topo

Queda na produção de arroz pode elevar os preços do cereal no mercado interno

Arroz em casca

Queda na produção de arroz pode elevar os preços do cereal no mercado interno

O excesso de chuvas que ocorreu durante a semeadura e colheita do arroz, na região Sul do Brasil, reduziu a produção do cereal para a safra 2015/2016 e, em razão disso, pode provocar aumento nos preços no mercado interno. Dados divulgados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) indicam que a produção de arroz no Rio Grande do Sul, maior estado produtor, deve somar 7,6 milhões de toneladas, queda de 11% se comparada à safra de 2014/2015, quando totalizou 8,6 milhões de toneladas. Essa redução vai terá impacto no aumento dos preços, que, agora em maio, estão cotados em R$ 41,37 a saca de 50 kg. Em abril a saca fechou em R$ 39,91.

Os dados foram apresentados na 42ª reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), realizada nesta terça-feira (24/05), com a participação de técnicos da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). O analista de mercados da Conab, Sérgio Roberto Gomes, afirmou que o fenômeno climático El Niño foi responsável pelos impactos negativos durante o desenvolvimento das lavouras, que deverá interferir nos estoques de passagem.

A produção nacional do arroz está estimada em aproximadamente 11 milhões de toneladas nesta safra. O montante previsto está 12% abaixo do total colhido na última safra, que somou 12,4 milhões de toneladas. Por conta disso, há a possibilidade do produto chegar ao mercado com um preço mais elevado”, destacou Sérgio Gomes.

Excesso de chuvas – O excesso de chuvas no Rio Grande do Sul, estado responsável por 70% da produção nacional, atingiu várias plantações provocando perdas de produtividade em muitas áreas. O assessor técnico da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA, Alan Malinski, explicou que o aumento de umidade nas lavouras, os cachos maduros pesam demais e a planta acaba acamando (quando os grãos ficam em contato com o solo e apodrecem).

Esses fatores contribuíram também para a diminuição do consumo do arroz no Brasil. Desde a safra 2013/2014 que o brasileiro tem reduzido a ingestão do cereal. De acordo com a Conab, neste período, foram consumidas 11,9 milhões de toneladas, caindo para 11,7 milhões na safra seguinte e, na atual, caiu um pouco mais: 11,6 milhões de toneladas. Cada brasileiro consome, em média, 25 quilos de arroz ao ano, segundo o Mapa.

O presidente da Câmara Setorial, Daire Paiva Coutinho, explicou que o setor enfrenta dificuldades por conta das variações climáticas. No seu entender é necessária a união das entidades representativas do setor na busca de medidas capazes de aprimorar as políticas públicas e promover discussões técnicas que beneficiem tanto os produtores de arroz, quanto os consumidores.

Fonte: CNA