Bem Vindo a WA Rural

contato@warural.com.br

(14) 99759-4149

Topo

Preço da soja deve cair no médio prazo

Foto: maxum.com.br

Preço da soja deve cair no médio prazo

INTL FCStone projeta cotações entre US$ 9 a 9,20 por bushel no Brasil a partir de março

A consultoria INTL FCStone projetou nesta quinta-feira, 1º de setembro, preços internacionais de soja entre US$ 9,50 e US$ 9,70 por bushel em dezembro, considerando uma safra norte-americana volumosa e já praticamente precificada e fatores macroeconômicos baixistas para as commodities, como a fraqueza da cotação do petróleo e o potencial de alta do dólar no exterior.

Para março, com a entrada da safra brasileira no mercado, a perspectiva é de preço ainda mais baixo, entre US$ 9 a 9,20 por bushel.

Vitor Andrioli, analista de mercado da consultoria, salientou que a queda do apetite chinês por importações não tem afetado o mercado de grãos da mesma maneira que afeta outras commodities. “As commodities alimentícias têm resistência muito ao maior processo de desaceleração da China. Para grãos, a gente vê uma intensificação da demanda com a melhora do consumo per capita de proteína animal”.

Para o câmbio no Brasil, a consultoria prevê que a moeda norte-americana em dezembro fique entre R$ 3,20 e R$ 3,30, com a expectativa de uma elevação da taxa de juros nos EUA e de uma redução da taxa de juros no Brasil até o fim do ano. “Nosso cenário é de aumento na taxa de juros dos EUA, o que é altista para o dólar, e redução na taxa de juros brasileira, o que também é altista para a moeda norte-americana”. Apesar da pressão sobre o preço da soja em Chicago, o dólar ainda forte no Brasil deve contribuir para a competitividade de commodities produzidas no país no período.

Para março, a perspectiva é de dólar de R$ 3,30 a R$ 3,40. “Estamos esperando um dólar pouco mais forte em março por causa do embate que o governo Temer deve ter com a base. Mesmo tendo sido aprovado o impeachment, a base está bastante rompida. Vemos dificuldade na aprovação de medidas de ajuste fiscal.”

Fonte: ESTADÃO CONTEÚDO